cantos da floresta

em cada canto da floresta
você pode ouvir uma flauta tocando

você pode ouvir esta mesma flauta
no rio tupana, solimões
ou no abandono de ariaú

um macaco-de-cheiro, um bicho-preguiça
uma criança ribeirinha de seis anos
sabem tocar uma flauta
você sabe?

aquelas duas araras que atravessam o céu todas as tardes são musicistas
repara que nunca estão só
apenas quem é fiel ao outro é digno de aprender um instrumento de selva

se você for agora a uma mata de igapó
e esperar em silêncio
pode ouvir um filhote de papagaio cantar

mas se for um silêncio de alma
você ouve aquela flauta

se for alma treinada
você ouve um cabloco cantando suas raízes

se for coração afinado
você vê a cor de seus sonhos nadando
nas águas do rio negro
e ainda percebe que a floresta é inundada
mas de encanto

ponha tua mão em teu peito
e escute o som de uma sapupema preencher toda a mata
a gente carrega dentro um tambor e não sabe como tocar

no interior de uma andiroba tem um óleo
que cuida de pele machucada
há veneno e cura dentro de uma mente que dá frutos e a gente passa a vida ardendo em febre e cicatrizes

a samaúma é rainha da floresta porque soube firmar raízes antes de crescer
é mãe de todas as árvores porque retira água das profundezas da terra para alimentar-se a si e ainda repartir com outras espécies

qual a última vez que você repartiu seu alimento?
cada ser humano tinha que ter uma samaúma plantada dentro de si

estas árvores também sabem tocar flauta
porque a música tem poder de cura
e até nietzsche que nem era da selva entendeu isso

os cantos da floresta não foram escritos em partituras
procure de bach a pattápio silva
nas linhas de tom jobim
de chiquinha gonzaga
não ouvirá uma nota sequer daquela flauta em pinxinguinha

você verá algo parecido em celdo brada
mas apenas se escutar com os pés descalços
e ter dormido na aurora de um rio
pelo menos uma vez na vida

poucas coisas na vida são mais importantes que ir ao jaraqui e fumar um galho de ambé
uma delas é fazer trilha na mata de várzea que fica dentro do peito
a gente é mata fechada
lugar que não se explora, não se habita

como ouvir uma flauta no canto de um uirapuru
se falta tempo
se falta silêncio
se sobram traumas?

a gente enfrenta sucuri todo dia mas não pisa num espelho

talvez você tenha aprendido a tocar flauta quando era ainda uma criança indígena dois séculos atrás

no choro de um ritual de ayahuasca mora o silêncio da mata

escuta teu choro pra aprender de novo a tocar
escuta teu choro pra lembrar de uma tarde se espreguiçando
de um rio amanhecendo
de uma orquestra de rãs

anda com pés descalços
e entra na floresta

escuta a cor verde

escuta...

escuta

.

voltar para poesia

show fsN normalcase tsN fwB right|show tsN left fwR|fwR show left tsN|b04 bsd|||login news c10 fwB fsN|normalcase uppercase fwB sbww c05 fwR c10 tsN|c10 fwB|login news normalcase uppercase fwB c10|normalcase uppercase tsN fwB fsN c05s|normalcase uppercase c10|content-inner||