tudo são fragmentos

nossas fotografias, os presentes trocados

o ingresso da primeira peça que assistimos, a mesa de bar que assistiu ao primeiro beijo
são fragmentos

os poemas que te fiz
as músicas que cantou pra mim
são fragmentos

quando agarrei nossos versos com as mãos
eles se dissolveram como areia entre os dedos
caíram como cacos nos pés

juntei os estilhaços
quis reescrever canções
mas não lembrava seu sobrenome
ele também virou fragmento

caminhei perto da sua casa
a rua em que você mora é fragmento

dias atrás
te encontrei por acaso
perto da avenida paulista
o palpitar do coração é fragmento
o coração não

lembrar de você ao ouvir 5 a seco
é fragmento
o jeito que você me olhava não
ele já foi varrido pelo vento

apenas trechos romance foram encontrados
a outra parte é páginas arrancadas
e gastas pelo tempo

uma transa de despedida é o que sobrou de nós:
pedaços

pouco permanece

o silêncio é fragmento
a saudade também

as lembranças
o sentimento
tudo são fragmentos

só a ausência que não
ela é inteira

[quando o todo é as partes e as partes se distanciam]

voltar para poesia

show fsN normalcase tsN fwB right|show tsN left fwR|fwR show left tsN|b04 bsd|||login news c10 fwB fsN|normalcase uppercase fwB sbww c05 fwR c10 tsN|c10 fwB|login news normalcase uppercase fwB c10|normalcase uppercase tsN fwB fsN c05s|normalcase uppercase c10|content-inner||