Virtudes

Certamente, um dos anéis  

mais lindos que já vi;  

em sua delicada mão  

criou ainda mais brilho e valor  

  

o colar, os brincos  

aumentavam sua vivacidade  

  

Impossível não olhar para aquela mulher repleta de riquezas  

e seu anel cheio de virtudes  

  

olhar coberto de incertezas  

joias cheias de fulgor  

  

Mas quem é o autor de tão formosa construção?  

  

a moça faz parte da obra  

o joalheiro a coloca em exposição  

e o ourives da forma e desforma a beleza que já existe  

  

O encanto das joias nasce  

das rochas tristes  

em jazidas que choram  

  

nasce em algum lugar distante,  

na África,  

em que não há escolas, nem hospitais  

onde pobres mineiros   

são artistas de vida amarga  

que valem menos que suas obras  

que não aprenderam a ler,  

nem foram lidos por nós!  

  

Tilinta o martelo que fere a rocha...  

  

Tilinta a moeda que fere a dignidade...  

  

O preço do belo custa notas de humanidade  

voltar para poesia

show fsN normalcase tsN fwB right|show tsN left fwR|fwR show left tsN|b04 bsd|||login news c10 fwB fsN|normalcase uppercase fwB sbww c05 fwR c10 tsN|c10 fwB|login news normalcase uppercase fwB c10|normalcase uppercase tsN fwB fsN c05s|normalcase uppercase c10|content-inner||